Quinta, 08 Outubro 2015 10:19

Para ex-diretor do DFTrans, fiscalização não estava acima de políticas de governo

Escrito por

Ex-diretor entregou sigilos aos distritais

Foto: David Pena

O ex-diretor-geral do DFTrans, Marco Antônio Campanella, afirmou nesta quinta-feira (8) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte que atuou para garantir que as fiscalizações do órgão não estivessem acima das políticas de governo, à época exercido por Agnelo Queiroz. Questionado pelos deputados integrantes da comissão sobre um ato normativo que teria concentrado todas as decisões sobre fiscalizações em sua pessoa, Campanella respondeu que o objetivo da norma era garantir a preservação do interesse público.

"A fiscalização não podia estar acima das políticas de governo. Havia ações fiscais de madrugada, nas garagens das empresas, sem que a diretoria-geral tivesse conhecimento. Isso prejudicava a população, pois vários ônibus deixavam de operar por causa dessas ações. Por isso passamos a exigir que toda atividade fiscalizatória fosse precedida por uma programação fiscal aprovada pela diretoria-geral", informou. O ex-diretor-geral disse ainda que o DFTrans não participou da elaboração da licitação para o sistema de transporte público do DF e comentou um parecer elaborado pelo então chefe do setor jurídico do órgão, Samuel Barbosa, apontando formação de grupos econômicos entre empresas participantes do certame.

"Tomei conhecimento do parecer e o encaminhei à Secretaria de Transportes. Em seguida, fui convocado para uma reunião com o então vice-governador Tadeu Filipelli, que manifestou preocupação com o teor do parecer", afirmou. O relator da CPI, Raimundo Ribeiro (PSDB), solicitou então a presença de Samuel Barbosa, que prontamente compareceu à reunião e apresentou seus argumentos. "Como já havia informado antes, apenas ouvi de Filipelli que eu não seria competente para elaborar qualquer parecer sobre a licitação", disse Samuel. O deputado Rafael Prudente (PMDB) observou que Samuel fez doação de R$ 8 mil para a campanha eleitoral de Marco Antônio Campanella e este limitou-se a dizer que "o ato de doação é voluntário e amparado pela lei".

Divergência

Presente à reunião, o ex-diretor de Operações do DFTrans, Ricardo Leite, foi chamado à mesa para confrontar suas afirmações com as de Campanella sobre impedimentos nas fiscalizações. "Toda fiscalização necessitava do aval do diretor-geral. Somente assim as ações poderiam ser realizadas. Em alguns casos, a omissão do diretor-geral impediu a realização de fiscalizações por alguns meses. Se algum fiscal atuasse sem a permissão do diretor-geral, poderia sofrer sanções administrativas. Toda decisão de grande porte era tomada pelo diretor-geral, e não pela diretoria colegiada", afirmou. Ricardo Leite disse ainda que uma programação de ações de fiscalização foi apresentada ao ex-diretor-geral, mas "nunca foi respondida".

Campanella negou ter recebido a programação aludida por Ricardo Leite e voltou a afirmar que a responsabilidade do DFTrans era garantir o interesse público e as políticas de governo. "Nossa responsabilidade era aprovar a programação global de fiscalizações, nós não atuávamos em casos individuais. A prerrogativa de cada agente fiscal estava garantida", sustentou. O ex-diretor-geral, cumprindo determinação da CPI, entregou aos deputados cópias de seus sigilos fiscal e telefônico. Ao fim da reunião, o presidente da comissão, deputado Renato Andrade (PR), pediu aos deputados que não emitam seus votos antecipadamente.

A CPI aprovou, para as próximas reuniões, a convocação para oitiva de Wagner Colombini Martins, sócio-diretor da empresa Logit Engenharia, de Guilherme de Salles Gonçalves, sócio-diretor da empresa Guilherme Gonçalves e Sacha Reck Advogados Associados e de Victor Bethonico Foresti, responsável pela empresa Viação Cidade Brasília. Participaram da reunião de hoje os deputados Renato Andrade, Raimundo Ribeiro, Rafael Prudente, Sandra Faraj (SD) e Ricardo Vale (PT).

Fonte: CLDF

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Bispo Renato Andrade agora é 22122!

Bispo Renato Andrade agora é 22122!

LER MAIS

Câmara Legislativa celebra Dia do Advogado

Câmara Legislativa celebra Dia do Advogado

LER MAIS

Mais 10 escrituras são entregues em Samambaia

Mais 10 escrituras são entregues em Samambaia

LER MAIS

Bispo Renato homenageia campeões de artes marciais

Bispo Renato homenageia campeões de artes marciais

LER MAIS

Bispo Renato doa sangue e incentiva campanha

Bispo Renato doa sangue e incentiva campanha

LER MAIS

Sessão solene comemora 61 anos da Novacap

Sessão solene comemora 61 anos da Novacap

LER MAIS

Bispo Renato celebra Dia do Advogado na CLDF

Bispo Renato celebra Dia do Advogado na CLDF

LER MAIS

Nota do Deputado Bispo Renato Andrade

Nota do Deputado Bispo Renato Andrade

LER MAIS

ARTIGO: Doação de sangue consciente

LER MAIS

28 de outubro para todos

LER MAIS

Carta de agradecimento pelo Dia do Pastor

LER MAIS

Deputados cobram instalação da CPI da Saúde

LER MAIS

Food Trucks ganham lei própria no DF

LER MAIS

Isenção de impostos deve ser votada esta semana

LER MAIS

ARTIGO: Doação de sangue consciente

LER MAIS

CPI do Transporte ouve empresário Victor Foresti

LER MAIS

Pioneiros de Brasília serão homenageados

LER MAIS

Licença-prêmio: os boatos eram verdadeiros

LER MAIS

Bispo Renato presta homenagem ao Dia do Pastor

LER MAIS

Câmara em movimento na cidade de Ceilândia

LER MAIS

Bispo Renato coloca acessibilidade em pauta

LER MAIS

Ensino especial merece atenção especial

LER MAIS

Câmeras de segurança em ônibus e viaturas

LER MAIS

Deputado Bispo Renato protocola 34 proposições

LER MAIS

Deputados Distritais tomam posse na CLDF

LER MAIS

Contato

Gabinete

Quadra QNM 1 Conjunto A, 23, Lote 23 72215-011 - Brasília - DF

E-mail

renatoandradedosantos@gmail.com